SÁBADO  –  24/04/2018

A ministra da justiça está de costas voltadas para juizes e procuradores. Faltou à tomada de posse dos corpos sociais das associações sindicais das magistraturas e nem se fez representar. Na tomada de posse de António Ventinhas, onde esteve a procuradora-geral da República e o director da PJ, entre outras entidades, a ausência de Francisca Van Dunem acabou por ser providencial, tal o rol de críticas.

A ministra ficou, no mínimo, com as orelhas a arder.