SMMP - Sindicato dos Magistrados do Ministério Público Terrorista quer diretor da PJ como testemunha

JULGAMENTO COMEÇA HOJE

Terrorista quer diretor da PJ como testemunha

CAMPUS DE JUSTIÇA, LISBOA

PROCESSO O Defesa de Rómulo Costa convocou Luís Neves, a ex-eurodeputada do PS Ana Gomes e jornalistas ACUSAÇÃO © Oito acusados de adesão, recrutamento e financiamento de terrorismo

MIGUEL CURADO

Rómulo Costa – o único dos oito portugueses acusados dos crimes de adesão, recrutamento e financiamento do grupo terrorista Daesh que está preso em Portugal – convocou como testemunhas o diretor-nacional da PJ, Luís Neves, a antiga eurodeputada do PS, Ana Gomes, bem como vários jornalistas. O julgamento começa hoje,no Campus de Justiça, em Lisboa.

Lopes Guerreiro, advogado que representa o arguido, atualmente detido na cadeia de alta segurança de Monsanto, diz que o pedido para que sejam ouvidas estas testemunhas “visa ajudar na obtenção da verdade”.

“Este é um julgamento que culmina seis anos de falhanço de uma investigação, e agora quer salvar a honra da PJ, da Unidade Nacional de Contraterrorismo e do Ministério Público. Espero que o coletivo [presidido por Francisco Coimbra] se mantenha imparcial” , disse ao CM o advogado.

Além de Rómulo Costa, há apenas confirmação oficial do paradeiro de outro dos arguidos: CassimoTuré vive em Londres, Inglaterra, com termo de identidade e residência. Já Nero Saraiva, de 34 anos, estará preso na Síria, ma sjá pediu a extradição para Portugal. Se for julgado naquele país, arrisca a pena de morte.

Os restantes cinco arguidos-Celso e Edgar Costa, Fábio Poças, Sadjo Turé e Sandro Marques – estarão, ao que tudo indica, mortos, Ainda assim, por haver falta de confirmação oficial dos óbitos, vão ser todos julgados no mesmo processo, em Lisboa. •

PORMENORES

Nero Saraiva
Até ao momento, nada consta no processo que faça acreditar que Nero Saraiva seja extraditado a tempo de ser julgado neste processo. A separação de casos é uma hipótese em aberto.

Músicas
Rómulo Costa, único dos arguidos que está no País, foi acusado pelo DCIAP graças, entre outra prova, ao teor das letras de’hip-hop’que escreveu, consideradas apologéticas do terrorismo.

Radicalizados
Os irmãos Rómulo, Celso e Edgar Costa emigraram para Inglaterra ainda muito jovens e foi aí que, segundo o Ministério Público, iniciaram o processo de radicalização que os levou para o Daesh.