OPINIÃO
BOLSA DE ESPECIALISTAS
24.05.2021 às 08h20

É frequente os magistrados do MP terem que repartir gabinetes e as secções funcionarem em espaços exíguos. Para além disso, enquanto os juízes têm salas de audiência onde, em regra, realizam as suas diligências, o Ministério Público, pelo contrário, não dispõe de salas próprias e adequadas para a efeito

Liderança é, a par da motivação e da comunicação, uma das chaves do processo de direção no funcionamento e gestão operacional das organizações.

É a capacidade de um indivíduo para influenciar, motivar e habilitar outros a contribuírem para a eficácia e sucesso das organizações de que fazem parte.

Embora alguns possam afirmar que “as pessoas passam, mas as instituições permanecem”, certo é que são as pessoas que materializam e conferem dinamismo às instituições ou organizações.

Uma organização precisa de liderança, de alguém que tenha visão estratégica, que tenha um projeto e que lute pelo mesmo.

As pessoas que em dado momento histórico encabeçam as organizações têm um papel, crucial e decisivo, no seu funcionamento.

Não é um verdadeiro líder quem é conformista, aquele que justifica a sua inatividade com obstáculos vários, como a falta de vontade política para resolver os problemas ou o resultado já ser o expectável e por isso não vale a pena insistir, entre outros.

Tem sempre desculpa para não agir.

Olha para a organização que dirige a definhar, com dificuldades várias, a precisar de uma voz forte, e nada faz para inverter o rumo das coisas.

Essa inércia transmite-se aos agentes da organização que se sentem desprotegidos, que não encontram no líder a motivação necessária para o exercício das suas funções.

Por isso, as instituições/organizações podem permanecer, mas o seu comportamento e êxito são muito diferentes em função de quem as lidera.

As várias instituições/organizações da área da justiça precisam de verdadeiros líderes, combativos, capazes de revindicar de forma incisiva as pessoas e os meios necessários ao exercício das funções que lhes estão confiadas.

Que tenham uma visão estratégica e estejam dispostos a lutar por uma justiça de melhor qualidade e mais eficaz.

Capacidade para assumir a responsabilidade dos atos praticados pela organização.

Transmitam segurança, confiança e motivação aos que nela trabalham.

Não se quedem pela inércia ao primeiro obstáculo que encontram ou à primeira resposta negativa e procurem ativamente superar os obstáculos.

Nas palavras de Jonh Maxwell “liderança é o desejo apaixonado de fazer a diferença”.

Share This