A procuradora Maria José Morgado revelou nas Jornadas sobre a corrupção, que se realizaram na Figueira da Foz que, neste momento, a luta por meios no Ministério Público está a nível do papel e da tinta das impressoras. Também João Marques Vidal, diretor do DIAP de Coimbra e irmão da procuradora-geral Joana Marques Vidal, denunciou a falta de meios – nenhum magistrado tem uma impressora a cores. “Quando temos de imprimir uma fotografia a cores temos de ir à GNR ou à PSP”, exemplificou.

Correio da Manhã, 2015.06.21


 

pdf  Descarregar Artigo