Taxas de justiça cobradas em função dos rendimentos de quem acede aos tribunais (semelhante a uma taxa moderadora) e um sistema informático renovado e acessível a todos são duas das propostas que juizes, Ministério Público, agentes de execução e advogados vão levar à ministra da Justiça. Propostas cirúrgicas integradas em quatro grupos de trabalho (ver caixa de pontos ao lado) – que serão apresentadas até junho – naqueles que serão os primeiros passos dos operadores judiciários em direção a um pacto de justiça. (…)

DN, 11/03/2017


Descarregar em formato PDFDescarregar artigo em formato PDF