A petição pública ainda vai ser posta a circular, mas já conta com subscritores como Francisco Louçã, Paulo Morais, João Cravinho, entre outros. O texto, assinado em primeiro lugar pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos, Paulo Ralha, chama-se Mais justiça fiscal, menos sigilo fiscal e nele defende-se que “a barreira” do segredo não pode ser “invocada e usada para condicionar e limitar a realização da justiça e da equidade fiscais que assegurem a efectiva igualdade de tratamento, a todos os cidadãos e empresas”.